Site dedicado à divulgação do tema Tuberculose

Epidemiologia

A tuberculose (TB) é a primeira infecção bacteriana e a segunda doença infecciosa, depois da síndrome de imunodeficiência adquirida (SIDA), a provocar, anualmente, mais mortalidade em todo o mundo. Estima-se que cerca de 2 mil milhões de pessoas estejam infectadas com o bacilo da TB, das quais cerca de 10% (cerca de 200 milhões) irão sofrer da doença. As pessoas com o sistema imunitário comprometido, como as infectadas com VIH, subnutridas, com diabetes ou consumidoras de tabaco, têm um risco ainda maior de ficarem doentes.

Em 2012 foram estimados 8,6 milhões novos casos de TB e 1,3 milhões de mortes provocadas pela doença, das quais 320 mil corresponderam a pessoas  infectadas com o VIH. A proporção de casos de TB co-infectados com VIH no mundo é de cerca de 13% (1,1 milhões de pessoas), e 35% em países africanos, os quais contam com cerca de 75% do total de casos de VIH do mundo.A maioria destas mortes ocorre nos homens em idade activa. Contudo, a ocorrência nas mulheres é também elevada, criando um ciclo de pobreza e doença (Figura 1). Estima-se que cerca de 90% das mortes poderiam ser evitadas se os pacientes tivessem acesso a cuidados de saúde para diagnóstico e correcto tratamento com antibioticos de primeira linha.

Mortalidade sexoPrimir a imagem para aumentar.

Do ponto de vista geográfico, a maioria dos novos casos estimados em 2012 ocorreu na Ásia (58%) e África (27%), e uma proporção menor na zona leste do Mediterraneo (8%), na Europa (4%) e no contenente Americano (3%). Os países com maior incidência de TB, em valor absoluto, são a Índia, a China, a África do Sul, a Indonésia e o Paquistão. A Índia e a China contribuem com 26% e 12% do total global de novos casos de TB, respectivamente.

A mortalidade provocada pela TB varia grandemente entre os vários países (Figura 2), dependendo dos níveis de pobreza e das condições socio-económicas das populações. Assim, verifica-se que de uma maneira geral, os países mais ricos da Europa Ocidental (excluíndo Portugal), Estados Unidos da America, Japão, Austrália e Nova Zelândia têm um menor número de mortes de TB por 100000. Por outro lado, os países com maior mortalidade pertencem maioritariamente ao continente africano (75% do total de mortes) e a três paises da Ásia (Bangladesh, Camboja e Myamar), com taxas superiores a 40 mortes por 100000 habitantes. Estima-se que cerca de 95% das mortes provocadas pela TB ocorrem nos países mais pobres.

Moratalidade TBPrimir a imagem para aumentar.

Parceria STOP TB

Recentemente foram estabelecidos objectivos globais para a redução da TB, a alcançar em 2015 e 2050 no contexto dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM). O ODM relacionado com a TB pretende que o número de existentes (prevalência) e dos novos casos (incidência) de TB comecem a reduzir em 2015.Paralelamente, a “STOP TB Partnership” (Parceria Parar a TB), uma coligação de entidades, foi criada para coordenar os esforços internacionais (WHO, 2006). Esta parceria pretende que a prevalência e o número de mortes provocadas pela TB reduzissem para metade em 2015, face aos valores de 1990, e que em 2050, a TB deixasse de ser um problema de saúde pública, com menos de um caso por milhão de habitantes. De forma a atingir estes objectivos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) criou uma estratégia que compreende:

1)    A aplicação de boas práticas no diagnóstico e tratamento dos pacientes com TB activa;

2)    A abordagem da co-infecção com o VIH, a TB multi-resistente e as necessidades das populações pobres e vulneráveis;

3)    O reforço dos sistemas de saúde baseados nos cuidados primários;

4)    O envolvimento dos prestadores de cuidados de saúde;

5)    A capacitação das pessoas com TB e das comunidades através de parcerias;

6)    A promoção da investigação científica.

Actualmente, tanto o número de mortes provocados pela TB (com uma redução de 45% entre 1990 e 2012), como a incidência (com uma redução de 2% entre 2011 e 2012), estão a caminho de atingir os objectivos estipulados para 2015 (Figura 3).

Tendencia TBPrimir a imagem para aumentar.

Situação da TB em Portugal

Em Portugal assiste-se a uma redução acentuada do nível endémico da TB, com uma redução sustentada da incidência por 100000 habitantes (Figura 4), directamente associada à melhoria dos índices de desempenho do Plano Nacional de Luta Contra a TB (PNT), com uma evidente redução da prevalência da resistência aos antibióticos específicos.

Incidencia PtPrimir a imagem para aumentar.

De uma maneira geral, do total de casos notificados, uma maior percentagem (65%) ocorreu em indivíduos do sexo masculino quando comparado com o ocorrido no sexo feminino (35%). O grupo etário compreendido entre os 35-40 anos foi aquele onde se registou um maior número de casos (Figura 5).

Casos sexo idadePrimir a imagem para aumentar.

Contudo, a situação é menos favorável nas grandes áreas urbanas de Lisboa, Porto e Setúbal, onde se concentra a maior parte dos casos registados no país e onde o ritmo de declínio tem sido mais lento. Nestas áreas incidem com particular intensidade os mais determinantes factores de risco, com consequente impacto negativo no sucesso terapêutico e no aumento da resistência aos fármacos (Figura 6).

Distribuição PtPrimir a imagem para aumentar.

Em relação à União Europeia, Portugal é um dos países com maior incidência de casos notificados e com maior expressão dos aspectos que lhe conferem o carácter de infecção emergente.

Estando em curso uma profunda reforma do sistema de saúde, importa alertar para a necessidade de salvaguardar a operacionalidade dos serviços dedicados à TB, de forma a enfrentar com eficiência os quatro principais desafios do Plano Nacional de Luta Contra a TB:

  • Implementação da estratégia global Toma Observada Directamente (TOD);
  • Implementação dos tratamentos personalizados (estratégia TOD-plus);
  • Intervenção activa na comunidade para cura e detecção de novos casos;
  • Plano de intervenção na co-infecção TB/VIH.

Abreviaturas

Organização Mundial de Saúde                            OMS

Síndrome da imunodeficiência adquirida            SIDA

Tuberculose                                                             TB

Vírus da Imunodeficiência Humana                      VIH

Bibligrafia

WHO. Global tuberculosis report 2013. Geneva, Switzerland: WHO; 2013

WHO. Stop TB Partnership and World Health Organization. Global Plan to Stop TB 2006–2015. Geneva, WHO, 2006

DGS, Programa Nacional de Luta Contra a TB Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios). Portugal, Lisboa; 2013.