Site dedicado à divulgação do tema Tuberculose

Sintomas da Tuberculose

Antes da pandemia da síndroma da imunodeficiência adquirida (SIDA), a grande maioria dos casos de tuberculose TB (85%) ocorria apenas no pulmão e uma minoria extrapulmonar e pulmonar ou apenas extrapulmonar (Farer et al., 1979). Apesar de actualmente a maioria dos casos de TB continuar a afectar os pulmões, a tuberculose extrapulmonar acorre em 10 a 42% dos pacientes, dependendo do grupo étnico, idade, presença ou ausência de outra doença, o genótipo da estirpe de Mycobacterium tuberculosis e o estado do sistema imune. A TB extrapulmonar pode afectar qualquer órgão e ocorre em cerca de 50% dos indivíduos co-infectados com o vírus da imunodeficiência humana (VIH), sendo que o risco de TB extracelular e micobacteremia aumenta com o nível de imunodepressão (Ormerod, 2008; Zumla et al., 2013).

As manifestações clínicas da TB estão dependentes de vários factores como a idade, o estado do sistema imune, co-infecção com outras doenças, imunização com o M. bovis var BCG, virulência da estirpe e a interacção entre o hospedeiro e o patogénio e os órgãos infectados (Serafino et al., 2013).

Os sintomas da TB activa são muito variáveis e dependem do(s) órgão(s) infectado(s). O diagnóstico da TB baseado apenas nos sintomas é muito difícil pois os sintomas apresentados não são exclusivos desta doença.

 

Sintomas da TB pulmonar

Sendo a TB uma doença progressiva, os sintomas desta doença evoluem ao longo dos vários estádios. Inicialmente, durante a infecção, os indivíduos com tuberculose poderão ter febre, dor no peito e falta de ar (dispneia). Nos estádios iniciais da TB primária activa, o sistema imune não consegue controlar a infecção, a inflamação nas zonas infectadas aumenta e os pacientes apresentam sintomas inespecíficos como fadiga, falta de apetite, perda de peso ou febre. Nesta fase há o desenvolvimento de tosse não produtiva. Posteriormente, nos estádios mais tardios da TB, a tosse torna-se produtiva, com o aumento da inflamação e necrose tecidular, e poderá conter sangue (hemoptise). A perda de peso progressiva, em particular de massa muscular, provoca cansaço. A inflamação do parênquima pulmonar poderá provocar dor de peito e o aumento do volume intersticial provoca a redução da capacidade de difusão do pulmão, provocando falta de ar (dispneia) anemia, sibilo respiratório e perda de peso (Knechel 2009) (Fig. 1).

 

Sintomas da TB extrapulmonar

A Figura 1 apresenta alguns dos órgãos que podem ser infectados pelo Mycobacterium tuberculosis (Mtb) e alguns dos sintomas apresentados.

Os casos mais graves de TB extrapulmonar ocorrem no sistema nervoso central, onde a infecção poderá provocar meningite ou levar à formação de tuberculomas no cérebro. Este tipo de TB, se não for tratado, é quase sempre mortal. Dores de cabeça e variações no estado de consciência após possível exposição ao agente infeccioso ou a grupos de risco elevados devem ser tidos em conta nesta doença como diagnóstico diferencial (Knechel, 2009).

Outra forma fata de tuberculose extrapulmonar é a infecção generalizada através da corrente sanguínea, chamada de TB miliar. Este tipo de TB progride rapidamente e pode ser difícil de diagnosticar devido aos sintomas sistémicos e inespecíficos (Knechel, 2009).

A TB nos nódulos linfáticos é o caso mais comum de TB extrapulmonar e a linfadenite cervical ou escrófula é o mais frequente nesta categoria. Pacientes com este tipo de TB poderão apresentar febre e perda de peso (Knechel, 2009).

A TB pode ainda afectar os ossos e articulações, o sistema geniturinário, o pericárdio, e virtualmente qualquer órgão (Fig. 1).

 Sintomas TBPrimir imagem para aumentar

Abreviaturas

Sindroma de imunodefeciencia humana             SIDA

Tuberculose                                                             TB

 

Bibliografia

Farer L. S., Lowell L. M., Meador M. P. (1979). Extrapulmonary tuberculosis in the United States. Am. J. Epidemiol. 109:205–217.

Ormerod P.2008 Non-respiratory tuberculosis. W: Davies P.D.O. (ed.).Clinical tuberculosis. Wyd. 4th ed Hodder, London; 163–188.

Zumla A, Raviglione M, Hafner R, von Reyn CF. 2013. Tuberculosis. N Engl J Med. 368(8):745-55.